Clima pesado entre Mbappé e Thomas Tuchel pode facilitar saída do craque Francês

Jóia francesa não renovou seu contrato com PSG; situação tensa entre jogador e treinador pode colaborar para uma saída na próxima janela de transferências.

Clima pesado  entre Kylian Mbappé e Thomas Tuchel no último sábado (1° de fevereiro) após ter sido substituído, pode render frutos ao Real Madrid. Isso porque, segundo o jornal AS, o clube de Madrid passou a monitorar com ainda mais presença a situação do jogador com seu time, interessado em fazer uma proposta ao clube francês para contar com o atleta. Seu contrato encerra em 2022 e algumas ofertas de renovação já teriam sido recusadas pelo campeão do mundo.

Gigantes monitoram situação de Mbappé

Além dos merengues , outros clubes, como o Liverpool, também estariam interessados na contratação da jovem estrela francesa. Mas o Real ainda parece ser o clube que corre na frente na disputa por sua contratação. O atleta, no entanto, curtiu publicações de três jogadores do Real sobre a última vitória da equipe diante do Atlético de Madrid, aumentando os rumores na Espanha. Mbappé nunca escondeu que num futuro próximo poderá jogar com a camisa do Real.

Leia também: Liverpool prestes a fazer história;

No Paris Saint-Germain, até o momento, a ideia é acalmar o clima entre Tuchel e Mbappé. Segundo o jornal francês Le Parisien, o diretor de futebol, Leonardo, se reuniu com os dois no dia seguinte para melhorar o relacionamento entre ambas. A publicação, porém, afirma que mesmo assim a relação permanece tensa entre eles.

Craque ficou uma fera após ir pro banco de reservas

Clima-pesado-entre-Mbappé-e-Thomas-Tuchel-pode-facilitar-saída-do-Francês.jpg
AFP via Getty Images

Mbappé se irritou bastante com Tuchel na beira do gramado depois de ser substituído para entrada de Icardi na vitória do PSG por 5 a 0 sobre o Montpellier. Após o jogo, o alemão concedeu entrevista mandando um recado para a jóia.

“Não são boas imagens, mas não somos o único clube onde essas reações acontecem. Não é bom porque gera controvérsia e é uma distração. Não estou com raiva, mas estou triste porque não é necessário. Sou o treinador, não Mbappé. E eu sempre decidirei alegremente. Não jogamos tênis, jogamos futebol, devemos respeitar a todos”, afirmou o treinador.

 

Receba atualizações em tempo real diretamente no seu dispositivo, inscreva-se agora.

error: O conteúdo está protegido !!